top of page
  • Foto do escritorFoco TCC

O legado do centenário Beck

Professor Aaron Beck

Parabéns!

100 anos.


Centenário.

100 grandes feitos.

Sem palavras para agradecer.


Sua vida, sua obra, falam por si.

Não haverá homenagem à altura para agradecer por sua contribuição na psicologia.


Com sua fala e suas expressões compassivas - e sua inseparável gravata borboleta - seus estudos e suas aulas contribuíram imensamente para melhorar a saúde mental de milhões de pessoas que foram atendidas pelos pressupostos da TCC.






Para comemorarmos, listo aqui “apenas 100” das incontáveis realizações deste extraordinário gênio!


  1. Formou-se em inglês e ciência política pela Brown University.

  2. Formou-se em medicina pela Yale Medical School.

  3. Tornou-se psiquiatra pelo Austen Riggs Center, em Stockbridge, Massachusetts.

  4. Pós-graduou-se na Philadelphia Psychoanalytic Society.

  5. Virou professor da Universidade da Pensilvânia.

  6. Conseguiu o título de professor emérito do Departamento de Psiquiatria da Universidade da Pensilvânia.

  7. Elaborou um método com intervenções clínicas que incluíam componentes cognitivos, emocionais e comportamentais.

  8. Fundou a Terapia Cognitiva.

  9. Dialogou e alinhou seus achados com Albert Ellis, fundador da Terapia Racional Emotivo Comportamental.

  10. Metodologicamente explicou no modelo cognitivo a importância dos pensamentos automáticos e das crenças centrais influenciando de forma direta na ativação das emoções, dos comportamentos e das respostas fisiológicas.

  11. Explicou a importância da tríade cognitiva. Em terapia, acessar as crenças a respeito de si mesmo, do mundo e do futuro.

  12. Relatou vários exemplos de crenças de desamor, desvalor e desamparo.

  13. Explicou a nós, de forma detalhada, diversos exemplos de distorções cognitivas que podem ser ativadas no dia a dia.

  14. Dialogou com Joseph Wolpe e destacou a importância da dessensibilização sistemática no tratamento de clientes que tratavam transtornos ansiosos.

  15. Acolheu e inseriu nos treinamentos de novos terapeutas ensinamentos de Carl Rogers que favorecem a construção e manutenção de um bom vínculo terapêutico.

  16. Demonstrou coragem ao revelar insatisfações com os resultados práticos do trabalho psicanalítico, em uma época na qual a psicanálise tinha muita força no meio acadêmico ao redor do mundo.

  17. Contribuiu muito para estabelecer os pressupostos filosóficos da TCC.

  18. Provou que o tratamento psicoterápico pode obter resultados tão bons quanto, ou melhores que, os tratamentos farmacológicos para depressão.

  19. Contribuiu para detalhar como fazer uso da estratégia de resolução de problemas, com maior foco no momento presente.

  20. Propagou ao redor do mundo reconhecidas estratégias e intervenções que visam identificar e reestruturar pensamentos e crenças distorcidos.

  21. A estratégia da seta descendente, criada por Beck, é até hoje o melhor recurso para identificar a crença central do cliente no processo psicoterapêutico.

  22. Reforçou a necessidade do uso de experimentos comportamentais na prática clínica.

  23. Colaborou com pesquisas que utilizaram com sucesso o treinamento de habilidades sociais para algumas queixas.

  24. Sempre apresentou a importância de se realizar um trabalho interdisciplinar - psicoterapia em parceria com outras áreas da saúde - para se tratar diversas queixas.

  25. Comprovou, por meio de pesquisas científicas, diversas intervenções e estratégias eficazes e efetivas para tratar os transtornos de ansiedade.

  26. Aproximou-se e trabalhou junto com David Clark. Estabeleceram pressupostos e protocolos de atendimento para transtornos ansiosos.

  27. Colaborou com trabalhos de David Barlow, inclusive no “Manual Clínico dos Transtornos Psicológicos”.

  28. Um dos pioneiros da psicologia clínica baseada em evidências, valoriza que se possível deveria haver estudos com revisões sistemáticas e ensaios clínicos, visto que são as maiores fontes de evidência científica.

  29. Beck trabalhou com colaboradores para desenvolver o modelo cognitivo do estresse e tratamentos visando manejo do estresse excessivo.

  30. Contribuiu para explicar o modelo cognitivo do Transtorno Obsessivo-Compulsivo.

  31. Explicou questões éticas muito importantes que precisam ser levadas em consideração no processo que visa reestruturação cognitiva.

  32. Contribuiu com trabalhos que atestaram eficácia para tratar os transtornos alimentares.

  33. Aprimorou estudos para tratar clientes com queixas atreladas a problemas com controle dos impulsos e controle da expressão da raiva.

  34. Disponibilizou ao longo do tempo, para os terapeutas cognitivo-comportamentais, diversos instrumentos que poderiam ser utilizados para favorecer a automonitoria e mudança de comportamentos disfuncionais.

  35. A consistência dos achados científicos da TCC, muito graças a Aaron Beck, fez com que a TCC se tornasse uma disciplina obrigatória no curso de psicologia em todas as importantes universidades do mundo.

  36. Incentivou estudos e a ampliação da aplicabilidade da TCC com muita eficácia para tratar crianças e adolescentes.

  37. Apontou, com pesquisas científicas, diversas intervenções que eram não eficazes.

  38. Ao lado de colaboradores Beck desenvolveu pesquisas para aplicar com eficácia a TCC para tratar usuários e dependentes de drogas.

  39. Posteriormente promoveu a importante integração entre a TCC e a entrevista motivacional, com sucesso clínico especialmente diante de casos de transtornos crônicos.

  40. Além de comprovar eficácia e efetividade nos atendimentos individuais, aplicou a TCC com sucesso para casais.

  41. Ampliou sua teoria detalhando o conceito de esquemas, incluindo também o conceito de modos.

  42. Elaborou modelos de avaliação e intervenção para tratar clientes com transtornos de personalidade.

  43. É um dos teóricos que infuenciou de forma direta os estudos de Jeffrey Young no desenvolvimento da terapia do esquema.

  44. Beck e sua metodologia servem como referência para Marsha Linehan desenvolver a Terapia Comportamental Dialética.

  45. Seus estudos e sua metodologia são influência para os estudos de Paul Gilbert, em sua proposta da Terapia Focada na Compaixão.

  46. Beck interagiu pessoalmente e é a inspiração maior para Irismar Reis de Oliveira ter desenvolvido a Terapia Baseada em Processos.

  47. É a maior e principal referência de Robert Leahy, em seus estudos sobre como lidar com as preocupações improdutivas.

  48. Beck ganha papel de grande destaque quando se apresentam aplicações clínicas que visam a regulação emocional.

  49. Durante um período de sua vida dedicou atenção especial a novos modelos cognitivos e a terapias para a esquizofrenia

  50. Beck, com colaboradores, nos apresenta de forma detalhada um protocolo de tratamento, coadjuvante ao tratamento farmacológico, para atendimento psicoterápico para clientes com transtorno bipolar.

  51. Com colaboradores elaborou métodos efetivos para tratar a dor crônica.

  52. Com ajuda de diversos colaboradores, incentivou e comprovou também a eficácia da TCC em grupo para tratar diversas queixas e transtornos.

  53. Influenciou na metodologia de pesquisa de grandes psicoterapeutas, pesquisadores e professores no Brasil, como por exemplo o professor Bernard Rangé.

  54. Publicou mais de trezentos artigos científicos.

  55. Contribuiu como coautor em centenas de artigos ao longo da vida.

  56. Publicou mais de cinquenta livros como autor ou coautor ao longo da vida.

  57. É pioneiro de um modelo de tratamento que os psicólogos pesquisadores muitos anos mais tarde definiram como “tratamento psicológico validado empiricamente”.

  58. Integrou a força tarefa de promoção e disseminação de procedimentos psicológicos (Task Force on Promotion and Dissemination of Psychological Procedures, 1995).

  59. Participou também da força tarefa das diretrizes de intervenção psicológicas (Task Force on Psychological Intervention Guidelines, 1995).

  60. Seus livros foram traduzidos para mais de 20 idiomas.

  61. Obteve renome internacional na teoria e no prognóstico do suicídio.

  62. Com colaboradores, Beck aprimorou a avaliação e conceitualização de casos ao longo do tempo.

  63. Interagiu e influenciou diversos dos mais importantes terapeutas e pesquisadores da área da psicologia clínica no mundo.

  64. É modelo e influenciou para que, ao longo do tempo, muitos terapeutas comportamentais se tornassem terapeutas cognitivo-comportamentais.

  65. Influenciou para que milhares de psicoterapeutas mudassem suas abordagens para uma prática clínica baseada em evidências.

  66. Sempre esteve aberto aos novos conhecimentos e à integração de novas estratégias à TCC, inclusive emocionais e de aceitação, desde que comprovadas suas eficácias.

  67. A convite da American Psychological Association (APA), dialogou com vários presidentes da APA, para ajudar a pensar em soluções para uma clínica baseada em evidências.

  68. Elaborou, junto a diversos colaboradores, centenas de materiais para psicoeducação de clientes com excelência

  69. Promoveu o diálogo entre pesquisadores das abordagens contextuais para integrar conhecimentos, práticas e interesses em comum, sendo essencial para que a TCC se tornasse uma abordagem integrativa pautada em evidências.

  70. Fundou o Instituto Beck - Beck Institute for Cognitive Therapy and Research - em 1994

  71. Seu instituto foi um dos pioneiros no ensino remoto de excelência para capacitar terapeutas em diversos pontos do globo.

  72. Disponibilizou diversos vídeos guias para serem usados em treinamentos para a aplicação de estratégias e intervenções da TCC.

  73. Seu instituto já formou centenas professores / instrutores capacitados para formarem novos terapeutas.

  74. Seu instituto formou até este momento terapeutas cognitivos comportamentais com excelência que atuam na clínica em 118 países do mundo na atualidade.

  75. Disponibilizou gratuitamente diversos vídeos em mídias digitais diversas, nos quais explica de forma didática diversos conceitos básicos da TCC.

  76. Criou diversos instrumentos muito usados na clínica e em pesquisas. As escalas de depressão, de ansiedade e de desesperança de Beck são utilizadas no mundo todo.

  77. Realizou pesquisas em parceria com professores de universidades de mais de 15países, incluindo o Brasil.

  78. Apresentou em mais de 100 eventos científicos seus trabalhos em diversos países do mundo.

  79. Foi conferencista de destaque em todos os eventos científicos dos quais participou desde os anos 90.

  80. Beck e Ellis influenciaram Seligman em seu estudo sobre otimismo. Mais tarde Seligman daria início ao movimento da Psicologia Positiva.

  81. Ganhou o Prêmio de Realização em Vida da Associação Americana de Psicologia

  82. Ganhou o Prêmio por Serviços Notáveis da Associação Americana de Psiquiatria

  83. Recebeu o Prêmio por Pesquisa em Neuropsiquiatria, da Fundação Robert J. and Claire Pasarow .

  84. Virou presidente honorário do Academy of Cognitive Therapy.

  85. Recebeu o laureado prêmio Lasker Clinical Research

  86. É reconhecido como um cientista humanista. Seu humanismo compartilhado fica claro em suas falas. Sempre propagou a ideia de uma comunidade que seja global, inclusiva, colaborativa, capacitadora e compassiva

  87. Visionário e flexível. Beck continua sendo consultado para que o mesmo expresse expecatativas futuras e caminhos para favorecer adaptações.

  88. Em um dos encontros com pessoas notáveis, Aaron Beck e Dalai Lama realizaram uma conferência no Congresso Mundial de Terapias Cognitivo Comportamentais, em Estocolmo, na qual falaram, entre outros assuntos, sobre aceitação, desapego e mindfulness.

  89. O médico e pesquisador mais renomado do mundo quando se trata do tema mindfulness, John Kabat-Zinn, que desevolveu o Mindfulness-Based Stress Reductions (MBSR), reconhece várias interseções entre seu programa e a TCC.

  90. O trabalho de Aaron Beck mais uma vez é valorizado quando Segal, Williams e Teasdale propuseram a integração de práticas de mindfulness com estratégias da Terapia Cognitiva de Beck, com o Mindfulness-Based Cognitive Therapy (MBCT).

  91. Diversos importantes psicoterapeutas, contemporâneos de Beck, mesmo seguindo outros pressupostos ou abordagens, reconhecem o brilhantismo do trabalho de Beck e a eficácia da TCC, como: Eric Kandel, Steven Roose, Peter Fonagy.

  92. Até mesmo renomados terapeutas de uma geração posterior à dele, como por exemplo Leslie Greemberg, fundador da Terapia Focada na Emoção, reconhecem o valoroso trabalho de Beck para a psicologia.

  93. Dentre os diversos colegas de profissão e na academia, todos reconhecem as forças e virtudes de Beck. Todos relatam bons momentos ao seu lado, o que é incrível para uma pessoa que completa 100 anos.

  94. Beck se adapta e busca manter-se conectado ao momento presente. Com a evolução das tecnologias, de forma gradual incorporou às suas pesquisas diversos métodos e achados neurocientíficos. Achados estes que comprovam ainda mais os efeitos benéficos da TCC.

  95. Sua humildade e generosidade intelectual é muito reconhecida. Beck se mostra aberto a receber e repassar conhecimentos. Orientou dezenas de novos pesquisadores / professores que, com certeza, darão sequência ao seu legado.

  96. Sua filha, Judith Beck, presidente do Instituto Beck, influenciada pelo modelo que é seu pai, tornou-se uma importante psicóloga, pesquisadora e escritora de livros.

  97. Beck e seu legado inspiram o movimento liderado por Stefan Hofmann e Steven Hayes, na proposta de uma psicoterapia baseada em processos.

  98. Até hoje, faz questão de fazer uma participação mais do que especial em todas as turmas que vão fazer curso presencial de TCC no Instituto Beck.

  99. Aaron Beck ofereceu seu trabalho como psicoterapeuta e promoveu a saúde mental centenas de clientes, que tiveram o privilégio de ser atendidos por este gênio.

  100. Atualmente Beck lê, ou pede para lerem para ele, ao menos um artigo científico todos os dias.

 

Texto elaborado por: Dr. Rafael Thomaz. Psicólogo clínico, professor e pesquisador.

 

Referências:



465 visualizações0 comentário

Comments


whatsapp-logo-icone-1-1.png
bottom of page